Instruções sobre a Prática de Shamata

Instruções sobre a Prática de Shamata baseadas nos ensinamentos de Padmasambhava.

Em primeiro lugar, as preliminares:

Os Quatro Pensamentos que Transformam a Mente

Contemple os Quatro Pensamentos que Transformam a Mente:

  1. O nascimento humano precioso
  2. A impermanência e a morte
  3. Carma, a lei de causa e efeito
  4. O sofrimento nos ciclos da existência condicionada

Esses ensinamentos podem ser lidos no livro Portões da Prática Budista de Chagdud Rinpoche e Comentários sobre a Prática de Ngondro, de Chagdud Khadro. As contemplações combinadas com o descansar da mente são, em si, um treinamento em Shamata.

Tome Refúgio e Estabeleça a Boditchita

Tome refúgio com fé e devoção nas Três Joias, o Buda, o Darma e a Sangha.

Desenvolva a Boditchita, a intenção iluminada, pensando: trabalharei continuamente para o bem dos seres sencientes, que foram todos minhas mães em vidas prévias. Para consumar essa intenção, atingirei a iluminação e, para tanto, treinarei minha mente na concentração meditativa de Shamata, o calmo permanecer.

Em segundo lugar, a prática principal:

Aquiete a Mente através das Três Posturas

Corpo

Abstenha-se de:
1. Toda atividade mundana
2. Atividades religiosas que requeiram movimento como prostrações e a contagem das contas de seu mala
3. Todo e qualquer movimento corporal

Sente em uma boa postura de meditação, como a postura de sete pontos de Vairotchana, ou pelo menos mantenha suas costas retas e os olhos em uma posição adequada e abertos, mas com o olhar dirigido para baixo.

Fala

Abstenha-se de:
1. Toda conversa comum
2. discussões religiosas
3. recitação de mantras e de liturgias

Mente

Abstenha-se de:
1. Pensamentos negativos
2. Pensamentos positivos
3. Insights intelectuais que surgem no contexto da prática de Mahamudra ou de Dzogtchen.

O Calmo Permanecer com Concentração em um Objeto Externo

Olhe para baixo, na altura do nariz, em direção ao objeto que é o foco de sua concentração, quer seja uma sílaba semente, uma pedra, uma pequena estátua, ou, na verdade, qualquer objeto pequeno. Preste atenção no objeto sem distração, evitando a percepção visual de outros objetos. Permita que sua mente descanse em concentração profunda no objeto. Se sua atenção se desviar, gentilmente retome o foco e descanse naturalmente.

O Calmo Permanecer com Concentração em um Objeto Visualizado

A Esfera Branca

Mantendo os olhos abertos, com o olhar dirigido para baixo, visualize uma pequena esfera branca (sânsc. bindu; tib. tigle) de luz em sua testa, entre as sobrancelhas. A esfera é vazia, mas luminosa, brilhante, cintilante como um arco-íris. Preste atenção nela, mas permaneça relaxado da forma mais natural possível.

A Esfera vermelha

Mantendo os olhos abertos, com o olhar dirigido para baixo, visualize seu corpo como sendo transparente e oco, uma cápsula de luz, clara e vazia. Dentro desta forma pura de seu corpo, no chacra do coração, visualize uma esfera de luz vermelha do tamanho da chama de uma vela. Assim como uma chama ardente, a esfera vermelha tem reflexos de luz azul. Preste atenção nela, permanecendo relaxado e natural.

Em terceiro lugar, a conclusão:

Finalizando a sessão

Relaxe o foco no objeto e simplesmente descanse a mente. Ela é aberta, alerta e natural. Quando pensamentos começarem a surgir, dirija-os para a dedicação.

Dedicação

Você pode usar qualquer prece genérica de dedicação, inclusive a dedicação da Prática Concisa de Tara. O mérito e a sabedoria da meditação são oferecidos a todos os seres, para que encontrem alívio das emoções aflitivas e da confusão da existência condicionada e para que conheçam o espaço de pureza e de lucidez, que é sua própria natureza búdica.